Um títereiro de Pontevedra para quem o Minho não era fronteira física nem linguística

O genial Barriga Verde, era um artista internacional pois costumava atravessar a raia húmida pela ponte de ferro e facer uma digressão de actuações pelas vilas do norte luso. Naquele tempo contava com uma enchente de admiradores naquelas terras e os seus engenhosos números eram fartamente aplaudidos aquém e além Minho. A gente mais humilde de todo o noroeste agradecía eses intervalos de distensão para tentar esquecer, as penosas ditaduras de Franco e Oliveira Salazar que assolavan a península ibérica naquela altura.

Fonte: Pontevedraviva.com, 6 Janeiro 2023

Partilhe este artigo nas suas redes sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *